Categorias
Carreira

Quanto cobrar por produção de conteúdo: confira dicas para não errar essa conta!

Saber quanto cobrar por produção de conteúdo é uma das, senão a principal dúvida dos redatores freelancer.

Acredito que não haja redator digital que não tenha tido essa dúvida em algum momento durante a sua carreira, pois cada demanda é única e possui suas diferentes complexidades, assim como necessidades dos clientes. Por isso, não existe um valor único que todos devem cobrar pelos trabalhos.

Mas estou aqui para lhe ajudar a se tornar o melhor produtor de conteúdos possível, então vamos conversar sobre como você pode ganhar bem com o volume de trabalho que você realiza hoje ou que espera ganhar no futuro?

Como é o mercado de redatores freelancer?

Antes de falarmos sobre quando você pode cobrar por uma produção de conteúdo, vamos começar analisando os poucos dados internacionais disponíveis sobre o mercado freelancer? 

De acordo com a pesquisa The State of Freelancing, realizada pela Contently com 1.119 freelancers, 88% deles trabalham escrevendo conteúdos, 34% são editores e 24% também atuação como planejadores.

35% dos freelancers ganham menos de US$ 20 mil anuais e 8% ganham mais de US$ 100 mil – porém, 41% dos participantes afirmaram trabalhar como freelancer nas horas vagas, o que explica essa diferença nos valores.

Já a pesquisa Mercado Freelancer produzida pela Rock Content em 2019, levantou que a média de pagamento de mais de 4 mil entrevistados foi de R$1.743,58. Entretanto, 45,7% afirmaram ganhar até um salário mínimo por mês como freelancer. 

Quanto cobrar por produção de conteúdo?

Atualmente, existem quatro principais caminhos que redatores costumam seguir ao começar a pensar sobre qual valor cobrar por uma produção de conteúdo – e que você pode utilizar no momento de pensar no seu valor ideal. Elas são:

Por hora de trabalho

Essa é uma opção muito utilizada por redatores, mas que nem sempre pode valer a pena. Nela, basta você definir o valor da sua hora de trabalho e entender quanto tempo levará em média na produção de um conteúdo.

Para realizar essa conta, você pode usar como base o salário no seu emprego atual ou anterior. Você também pode usar como base o valor que quer receber no final do mês. 

Suponha que você cobre R$ 40 por uma hora de trabalho e que demore duas horas para realizar um texto de 1 mil palavras. O valor desse artigo será então R$ 80. 

Mas e quando é de um assunto que você não conhece e terá que pesquisar sobre o assunto e buscar referências para a produção? Será mais uma hora de trabalho, subindo o preço dessa produção para R$ 120. 

Leia também: Como ser um redator web: guia completo para iniciantes + dicas para evoluir

E aí você terá que decidir se os valores médios que você costuma chegar pelas produções está dentro do que o mercado e seus clientes estão dispostos a pagar. 

Se não, há uma grande chance de você acabar recebendo menos do que deveria em textos de áreas que ainda não conhece ou ganhar muito acima do que deveria em artigos que levou pouco tempo para concluir porque já conhecia o nicho do cliente, deixando o valor injusto para ele.

Por quantidade de palavras

essa possibilidade de cobrança é vista por muitos como mais “justa”, já que por meio dela é estabelecido uma regra para todos e o valor se torna mais correto para você, assim como os clientes.

Não sabe como funciona esse modelo? Nada melhor que um exemplo, não é mesmo?

Suponha que uma loja de celulares lhe contrate para escrever um artigo de 1 mil palavras sobre os melhores celulares do ano. Já que seu valor por palavra é de R$ 0,08, sua conta será:

1.000 x R$ 0,08 = R$ 80

Já se ele decidir diminuir o número de palavras para 800, a nova conta será:

800 x R$ 0,08 = R$ 64

Por peça produzida

Essa é a forma mais direta, afinal de contas você está dando um valor por um conteúdo pronto, seja ele um texto, e-book, post para rede sociais, e-mail marketing, enfim, qualquer um dos vários tipos de serviços que um redator freelancer possa produzir. 

Se essa for a sua preferência, é válido já deixar até mesmo uma tabela montada com os tipos de serviços que você oferece e os valores que você cobrará por cada um deles. No Canva é possível encontrar vários templates que podem ser editados para ter as suas informações de maneira profissional e estilosa.

Por pacote de conteúdos

Não é difícil andar pelos corredores do supermercado e encontrar promoções como “compre 3, leve 4”. E se você levasse essa estratégia para o seu negócio?

Essa estratégia de negócio é usada por muitos, pois ela gera um fluxo de caixa constante, ou seja, quanto maior o valor da compra, menor o valor individual do produto – e isso também pode ser usado nas suas produções.

Vamos supor que você chegou a conclusão que para escrever um texto para um blog que fala sobre emagrecimento, você deverá cobrar pelo menos R$ 40 por texto. Que tal então fazer um pacote que talvez custe um pouco menos por produção, mas que você ganhe um valor total maior? Por exemplo:

5 textos de 500 palavras por mês: R$ 200 (R$ 40 por texto)

10 textos de 500 palavras por mês: R$ 380 (ou seja, R$ 38 por texto)

Essa ação leva o seu cliente a assinar pacotes mais caros, aumentando os seus pagamentos.

O que mais posso fazer para calcular meu valor?

Além das dicas que oferecemos acima, existem outras técnicas que você pode realizar para ajudar a definir quanto cobrar por uma produção de conteúdo para a sua realidade.

Cronometre a produção de um conteúdo

Você acha que demora uma hora para produzir um texto, mas será que é isso mesmo? 

Que tal então ligar o cronômetro no seu celular ao sentar para produzir um conteúdo e conferir quanto tempo você costuma demorar para pesquisar e buscar referências para o conteúdo, quanto tempo para escrever e quanto tempo para editar e otimizar esse conteúdo?

Essa tática pode abrir seus olhos para o seu tempo real de produção, assim como para como está a sua produtividade.

Saiba o preço dos concorrentes

Quem são os seus concorrentes para os serviços que você realiza? Qual o valor que eles cobram? Saber como as outras pessoas enxergam a qualidade do serviço deles pode lhe ajudar a ver os seus conteúdos com outros olhos.

Será que eles estão cobrando demais ou você que está cobrando muito pouco por texto? Ou talvez até o contrário, seu preço está muito acima dos outros – será que ele está correto?

Descubra quanto sua função ganharia em uma empresa

Existem sites como o Glassdoor que mostram a média de salários de diferentes funções em várias cidades no país. Para isso, é necessário que você realize uma auto-avaliação para saber em qual nível se enquadra (júnior, pleno, sênior ou especialista) e poder olhar a média de salários para esse cargo.

Agora que você já sabe como calcular quanto cobrar por uma produção de conteúdo, chegou a hora de colocar a mão na massa! E se você quiser continuar aprendendo com a gente, é só nos seguir no Instagram @redator.digital, fechado?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *