Categorias
Carreira

Como ser um redator web: guia completo para iniciantes + dicas para evoluir

Se você está buscando saber como ser um redator web, sua procura chegou ao fim nesse momento. Com o marketing de conteúdo em crescimento, além da constante evolução das redes sociais, nada melhor do que se tornar um profissional de conteúdo.

Seja para ganhar um dinheiro extra trabalhando do conforto do lar, ou para assumir um trabalho em full time, existem muitas possibilidades para criar conteúdo escrito e, assim, ser bem remunerado pela sua capacidade de criação.

Assim, o caminho de como ser um redator web pode ser bem longo e difícil. Mas, com as dicas certas — que vou trazer aqui —, sua jornada será bem mais breve e fácil, pois já trilhei o caminho das pedras por você.

Então, confira o guia completo de como ser um redator web, seja para quem nunca trabalhou criando textos, ou para aqueles que ainda estão patinando para se consolidar na área de criação de conteúdo.

Afinal, o que faz um redator web?

De forma simples e direta, um redator web é aquele que cria conteúdos de texto para a internet, sejam materiais para sites, blogs, e-mails, posts em redes sociais e outros formatos existentes na rede mundial dos computadores.

O principal objetivo é escrever — da melhor forma possível — um conteúdo que será lido por centenas ou milhões de pessoas, dependendo da capacidade técnica que esse redator web possuir, claro.

Assim, o dia a dia desse trabalho pode ser bem dinâmico, já que os materiais a serem criados variam bastante. Em algum dia o foco pode ser o desenvolvimento de um conteúdo para blog com otimização SEO. No outro, posts para redes sociais são o objetivo do dia.

No entanto, a dinâmica é sempre a mesma: entregar um conteúdo de alta qualidade, o que significa que ele precisa ser legível e compreensível por seres humanos, além, é claro, de satisfazer as necessidades do negócio ou projeto pessoal.

Ou seja, se o objetivo do redator web é criar um post para Facebook, ele precisa ter em mente que esse material exige menos texto e mais objetividade, já que a dinâmica das redes sociais envolve uma comunicação mais direta.

Então, mais do que saber o que faz um redator web, é importante conhecer a jornada para identificar se há algum tipo de alinhamento com a função. Escrever, algumas vezes, é apenas uma questão de sentar, redigir um texto e atingir a expectativa do cliente.

E todo aquele glamour que você viu em Mad Men pode ser apenas uma visão bem poética da profissão, o que não tem problema algum.

Requisitos de como ser um redator web

Na verdade, os requisitos de entrada de como ser um redator web são baixos. Na minha opinião, o que mais é difícil no dia a dia é manter a consistência de continuar escrevendo quando algumas barreiras surgem — falaremos disso mais para frente nesse conteúdo.

Então, na minha experiência, os requisitos de como ser um redator web de qualidade envolvem seis itens:

  1. Ter gosto pela escrita, mesmo de assuntos que você não domina;
  2. Ter gosto pela leitura, pois o consumo de livros, revistas, jornais e outros artigos na internet te ajudarão a ser um redator web melhor;
  3. Ter gosto pela pesquisa, pois a arte de escrever depende do quão bem você pesquisa a “matéria-prima” para a produção do seu conteúdo;
  4. Ter uma boa capacidade de transformar ideias em palavras, já que essa é a missão do redator web;
  5. Ter um bom português, além de vontade em melhorar sempre nessa área;
  6. Ter vontade de se aprimorar, pois, como as maiorias das profissões modernas, o redator web também precisa estudar e aumentar seu repertório profissional regularmente.

Então, se você já tem todas — ou a maioria — dos requisitos apresentados anteriormente, parabéns, você está pronto para aprender como ser um redator web de muito sucesso.

Ah, e evite se sabotar achando que a criatividade é um requisito obrigatório para a escrita criativa. Você aprenderá a ser criativo com o tempo, depois de muito treino e de consumir muitas fontes de inspiração.

Portanto, nada de achar que você não “nasceu com o dom da criatividade“.

Como ser um redator web: dicas para começar e evoluir na carreira

A primeira dica de como ser um redator web de sucesso é: tenha paciência e não desista. Principalmente no início, pela falta de experiência, você viverá algumas situações bem difíceis, justamente por não ter um histórico de trabalho na área.

Desafio 1: conseguir o primeiro trabalho

É claro que essa não é uma regra para todos, mas é bom entender que encontrar o primeiro trabalho pode ser bem desafiador. Com tantos concorrentes tentando preencher uma vaga, você precisará se esforçar bastante até dar o primeiro passo.

“Mas, Renato, eu consegui meu primeiro job logo na primeira tentativa!”

Que ótimo! Mas a exceção é o exemplo de burro. A realidade dos redatores web sem experiência e um portfólio deve ser bem diferente — e é preciso estar preparado para os meses de seca.

No entanto, conforme os trabalhos aparecem, você perceberá uma facilidade maior em dar o próximo passo. É aí que a coisa fica boa, mas os desafios ainda não acabaram, pode ter certeza disso.

Desafio 2: aumentar o preço do seu trabalho

Outro desafio de como ser um redator web para os iniciantes é o preço cobrado por cada trabalho realizado. Via de regra, as plataformas de freelancers e alguns grupos de Facebook oferecem trabalhos com uma remuneração ridiculamente baixa.

Sério, é até ofensivo olhar para trás e pensar em algumas ofertas que já me fizeram — e outras que aceitei. 

Mas, tudo bem, no início esse esforço vale a pena. Lembre-se que você precisa acostumar com a profissão, ganhar mais habilidades de escrita e criar experiência trabalhando com redação web. 

Portanto, a dica é fazer da redação web seu segundo trabalho. Tire duas horas do seu dia para fazer um artigo ou alguns posts, até que seja possível almejar valores maiores pelos textos criados e aí, bem, a coisa começar a tomar outra forma.

Desafio 3: aceitar os erros

Sabe aquele papo de “errar é humano”? Ele vai ser colocado à prova durante a sua jornada para se tornar um redator web. Na verdade, o erro vai te perseguir por toda a carreira e, assim, você precisa aprender a lidar com ele.

Antigamente eu valorizava demais os erros que cometia. Mas, hoje, os vejo como parte do processo. Veja bem, não é para sair errado sem se preocupar com a qualidade, mas alguns erros vão acontecer e você precisa se preparar para isso.

É claro que algumas falhas são imperdoáveis. Se ela acontece na arte de um post para redes sociais, onde o espaço é super reduzido, aí fica complicado, pois isso indica falta de revisão. Mas, em um texto mais longo, um erro aqui e outro ali é supernatural.

Portanto, aprenda a se cobrar de forma justa pelos erros, pois eles nunca deixarão de acontecer.

Cursos de como começar a escrever para a web

Agora que você entendeu os dois principais desafios do início da carreira de redator web, é hora de colocar a mão na massa. Para isso, é importante fazer alguns cursinhos básicos para te dar a mínima noção do trabalho que te espera.

Na minha experiência, essa sequência de cursos foi bem importante:

Apesar de ter um início forte com a Rock Content, nunca trabalhei com eles ou sequer me certifiquei na plataforma. Já naquela época, descobri as regras de remuneração que a empresa prega e, sinceramente, não me senti confortável em continuar.

No entanto, os cursos são excelentes e vão te dar uma boa base de como ser um redator web. Faça cada um deles e suba alguns degraus na sua competência de escrita.

Livros sobre a área de marketing de conteúdo

Além dos cursos mencionados acima, alguns livros são interessantes para essa formação como redator web. Abaixo, deixo algumas recomendações importantes, mas não obrigatórias:

Assim, se você puder ler essas recomendações antes ou durante sua jornada como redator web, pode ter certeza que todas serão importantes para sua carreira. Mas, lembre-se: não serão essas obras que te levarão ao sucesso, pois isso é fruto de muito trabalho — e textos escritos, claro.

Ferramentas de trabalho: escolha seu software predileto

Agora que você já sabe o que faz um redator web e como ter uma preparação básica para iniciar, é hora de conhecer as principais ferramentas para seu trabalho diário de escrita de conteúdo.

Nesse caso, basicamente, um redator web só precisa de um editor de textos no computador, um navegador e uma conexão com a internet que seja suficiente para fazer pesquisas no Google, baixar alguns materiais e assistir vídeos para referências.

Então, a sugestão mais básica para quem está iniciando é apostar no Google Docs — já incluso para todo usuário com conta no Gmail — ou o bom e velho Microsoft Word, dentro do pacote Office. Mesmo que você torça o nariz, essas duas opções dão conta do recado.

Google Docs

O editor de textos criado pelo Google vem crescendo a cada dia, graças à competência na edição e colaboração de documentos, bem como a fácil armazenagem por meio do Google Drive.

Com a popularização do Gmail, nada mais prático do que criar e compartilhar seus textos diretamente da sua conta. Assim, seus clientes poderão fazer comentários, sugerir edições e facilitar o processo de validação dos conteúdos facilmente.

E o melhor: onde você estiver com acesso na sua conta do Gmail, terá os documentos prontos para serem acessados facilmente. E é essa agilidade que faz do Google Docs minha ferramenta preferida para trabalho desde sempre.

Microsoft Word

O software da Microsoft é uma lenda dos editores de texto. Extremamente popular e potente, o Word é uma boa opção para criar seus conteúdos, sejam materiais para blog, site ou redes sociais, por exemplo.

No entanto, a principal desvantagem desse editor é o preço. São R$ 25 de investimento mensal na assinatura do Microsoft 365, o que dá direito à suíte básica de ferramentas do pacote Office.

Mesmo que não seja um valor tão alto, é importante considerar esse investimento no seu controle financeiro. Além disso, os recursos de colaboração do Microsoft Word são bem mais limitados que seu concorrente mais jovem, que mencionamos anteriormente.

Ainda assim, lembre-se que a melhor ferramenta é aquela que permite a entrega de um bom trabalho para o cliente. Seja de forma gratuita, como é o caso do Google Docs, ou em uma assinatura mensal do pacote Office — ou, ainda, um outro software —, é o trabalho entregue que importa.

Onde encontrar seus primeiros trabalhos

A jornada de como ser um redator web está chegando ao seu ápice. Agora que você já sabe o caminho básico que deve trilhar, e só resta caçar seus primeiros trabalhos na internet. Para isso, existem algumas opções bem interessantes, conforme veremos adiante.

Sites para freelancers

Os sites para freelancers são uma boa escolha para o início da sua jornada. No entanto, é bom saber que a concorrência também pode ser bem grande, o que ajuda a derrubar os preços dos serviços prestados.

Enquanto você está começando a atuar como um redator web, pode ser interessante abrir mão de ganhar bem para pegar experiência. Ainda assim, saiba que é possível ganhar um bom dinheiro atuando com a produção de textos para a internet.

Então, vou listar brevemente as melhores opções e algumas características das plataformas de freelas:

  • Workana: oferece um plano gratuito, mas bem limitado, que dá direito a pegar um projeto por vez. Os planos pagos inicial em US$ 4,90 mensais;
  • Freelancer: com um plano gratuito mais generoso — até 8 ofertas mensais —, a plataforma só cobra do profissional se este quiser algum destaque na concorrência de vagas;
  • 99Freelas: a plataforma brasileira permite o envio de propostas ilimitadas por mês, com um custo que pode variar entre 7% e 15% para os contratantes. Além disso, existem planos pagos para profissionais obterem algumas vantagens na oferta de trabalho;
  • Crowd: para freelancers, 8% do custo da contratação é repassado para a plataforma. Atualmente, esse é o único valor cobrado dos profissionais;
  • GetNinjas: mais uma plataforma brasileira muito famosa e ideal para encontrar os primeiros trabalhos. Para profissionais, o custo de visualizar um anúncio e, assim, pode negociar com os contratantes é de R$ 0,15, que é o único valor cobrado pelo serviço;
  • Fiverr: apesar de ser um site voltado mais para o público de fora do país, é possível conseguir alguns freelas por lá. No entanto, 20% de cada transação realizada fica com a plataforma.

E aí você pode ser perguntar: “mas qual devo escolher?”, e a resposta é: escolha todas plataformas! Cadastre-se e veja o que consegue como uma primeira oportunidade.

Grupos de Facebook

Se tem uma coisa boa do Facebook, são os grupos para freela. Lá, você vai encontrar milhares de pessoas oferecendo trabalho para freelancers, o que pode ser um bom ponto para você começar.

A parte boa de apostar nessa estratégia é a possibilidade de “humanizar” a relação entre você e o contratante. Aproveite para argumentar que é seu primeiro trabalho, e isso pode facilitar a conversa e, principalmente, a negociação de valores.

No sentido oposto, você precisará monitorar as postagens para encontrar alguma oportunidade adequada para seu perfil de iniciante. Mas, tudo bem, também vale a pena apostar nessa estratégia para ir atrás do seu primeiro job como redator web.

Ah, como existem muitos grupos, basta pesquisar no Facebook por “freelas redação“, “freelas redatores“, ou termos relacionados, para encontrá-los.

Quanto cobrar pelos serviços de redação web

Estamos chegando ao final desse guia completo para você iniciar como um redator web, e chegamos a um ponto importante: quanto você deve cobrar pela produção de texto para a internet?

Isso pode variar bastante, pois além da sua vontade em ter uma renda extra ou viver disso, existe também a vontade dos contratantes em economizar para contratar o serviço de terceiros.

Então, como toda profissão, a ideia é começar ganhando pouco e evoluir com o tempo. Assim, quando você ganhar mais experiência, qualidade e confiança, poderá cobrar mais por suas habilidades.

Mas, como essa resposta não é suficiente, vou trazer a minha experiência — que pode te ajudar bastante nesse sentido. Vamos lá:

  • Para artigos de blog ou e-books, procure cobrar por palavra escrita. Podem ser R$ 0,02 ou R$ 0,03, só para você “destravar” os primeiros trabalhos, o que vai render R$ 20 ou R$ 30 por um texto de 1.000 palavras. No caso dos e-books, o trabalho será maior, mas você também receberá mais pelo job entregue;
  • Para posts de redes sociais, procure cobrar um valor fixo por item, já que a dinâmica desse tipo de serviço é um pouco maior. R$ 5 por cada post é um valor bem pago, caso você consiga pegar um pacote mensal;
  • Para e-mails marketing e páginas de site, na minha experiência, são fechadas por hora de trabalho, já que a complexidade pode variar bastante. Assim, defina o seu custo hora e multiplique pelo tempo que será gasto para realizar a tarefa;
  • Para outros materiais, analise se é um item muito extenso de escrita, o que vale a cobrança por palavra, ou se é um item mais fechado e pontual, o que pode ser cobrado por hora de trabalho. Desse modo, conforme os jobs surgirem, você terá mais condições de fazer uma cobrança mais justa.

Sobre o tempo gasto, é claro que no início você não terá ideia do tempo necessário para escrever uma página de site completa. Então, é sempre bom começar chutando um tempo e ir se adequando aos poucos, até que você conheça a sua velocidade de produção.

Da mesma forma, conforme os trabalhos forem surgindo e você se sentir confiante, vá escalando valores, para que seu preço final fique adequado, mas sem impedir a conquista de novos trabalhos.

Lembre-se: com experiência comprovada, ficará mais fácil conquistar novos clientes e ser melhor remunerado por isso.

Quanto ganha um redator web?

É sempre complexo citar valores, pois isso pode depender da capacidade de encontrar trabalhos, do nível de experiência e de alguns outros fatores de mercado. Mas, no geral, um redator web com alguns meses de experiência pode ganhar um bom dinheiro na internet.

Com oito horas dedicadas de trabalho, você poderá ganhar R$ 2.000 tranquilamente no início, o que é um bom valor se considerarmos que o trabalho depende da sua capacidade de escrita, um computador e uma conexão com a internet.

Após alguns tempo de trabalho e evolução da sua capacidade de escrita, será possível dobrar esse valor, podendo até atingir R$ 5.000 ou R$ 6.000 mensais. E considerando o cenário financeiro do país, esse é um excelente montante.

Mas é claro que o caminho não será fácil. Possivelmente você precisará trabalhar duro, estender o horário, sacrificar alguns fins de semana e feriados, mas será recompensado por uma rotina agradável e bem remunerada na profissão.

Bônus: me tornei um redator web, e agora?

Agora que você já pegou os primeiros trabalhos, possivelmente está com dúvidas de como evoluir e o que fazer para aumentar a carteira de clientes, além dos ganhos com suas habilidades de escrita para a internet.

Nesse ponto, basicamente, o processo a ser realizado é o mesmo do início da jornada: faça cursos, procure jobs — melhores, nesse caso — e vá subindo os degraus da sua carreira como redator web.

Lembre-se: essa é uma profissão que exige constante aperfeiçoamento para melhorar. Somente o ato de escrever não vai te fazer um redator melhor. Você ainda precisará ler muito — livros, revistas, artigos e o que mais puder —, aprender com os melhores e se adaptar às mudanças da internet.

Então, a resposta mais simples para como ser um redator web é: estude bastante, aplique seu conhecimento, vá atrás de trabalhos lucrativos — financeiramente ou de aprendizado — e nunca deixe de acreditar no seu potencial de criação.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *